Porto

10 Locais a não perder no centro Histórico do Porto

Categoria: Qualquer Tipo de Viagem

Preparamos-lhe um roteiro pelo Porto, 2¬™ maior cidade de Portugal e considerada a ‚ÄúCapital do Norte‚ÄĚ. Uma das capitais de turismo da Europa, classificada como Patrim√≥nio Mundial pela UNESCO e vencedora dos pr√©mios Melhor Destino Europeu e Melhor Destino City-Break da Europa. Uma combina√ß√£o perfeita do Centro Hist√≥rico de 1000 mil anos, levando-o do rio ao Oceano Atl√Ęntico e aos bairros modernos.

01. Capela das Almas

√Č um dos edif√≠cios mais fotografados do Porto! Situada em plena Baixa, a Capela das Almas destaca-se pelos 15.947 bel√≠ssimos azulejos que revestem a sua fachada. A capela tem a sua origem numa antiga capela de madeira erguida em homenagem a Santa Catarina, mas, desde que foi reconstru√≠da no s√©culo XVIII, como √© hoje, pela ‚ÄúIrmandade das Almas e Chagas de S√£o Francisco‚ÄĚ que se mudaram do Mosteiro de Santa Clara para esta capela, ficou popularmente conhecida como ‚ÄúCapela das Almas‚ÄĚ.


02. Café Majestic

Inaugurado em 1921, este caf√© hist√≥rico localizado na Rua de Santa Catarina foi imediatamente associado √† alta sociedade e √†s celebridades da √©poca, que aqui vieram para se encontrar com os seus pares e realizar encontros sociais e eventos, neste ambiente √ļnico da ‚ÄúBelle √Čpoque‚ÄĚ. √Č considerado o mais deslumbrante de todos os caf√©s portugueses e um dos mais atraentes do mundo.


03. Livraria Latina

A Livraria Latina √© uma das livrarias mais emblem√°ticas da cidade do Porto. Foi fundada em 1942 e √© conhecida pela sua fachada, onde se destaca o busto de Lu√≠s de Cam√Ķes, considerado o maior poeta de Portugal e de l√≠ngua portuguesa. O seu dom√≠nio da poesia j√° foi comparado ao de Shakespeare, Vondel, Homero, Virg√≠lio e Dante e √© mais lembrado pela sua obra √©pica, que √© considerada a ‚ÄúDi√°spora Portuguesa‚ÄĚ.


04. Estação de São Bento

Esta esta√ß√£o ferrovi√°ria est√° localizada no Centro Hist√≥rico do Porto, Patrim√≥nio Mundial da UNESCO e Monumento Nacional. Foi constru√≠da sobre as ru√≠nas de um antigo Convento (da√≠ o nome ‚ÄúS√£o Bento‚ÄĚ) e embora o primeiro comboio tenha partido em 1896, o edif√≠cio s√≥ foi inaugurado em 1916, ap√≥s a conclus√£o do √°trio. Os murais s√£o compostos por mais de 20.000 azulejos que representam momentos da hist√≥ria de Portugal e tamb√©m cenas e tradi√ß√Ķes rurais do Norte do pa√≠s.


05. Fonte da Rua do Ch√°

O ch√° √© um produto com mil√©nios de exist√™ncia. A refer√™ncia mais antiga do ch√° √© de um imperador chin√™s, Shen Nung, no ano de 2750 a.C. No s√©culo XVI, os exploradores portugueses descobriram a Rota do Ch√°, as suas t√©cnicas e costumes de prepara√ß√£o, e trouxeram-na para Portugal. No entanto, Portugal e Espanha entraram em guerra nesta √©poca, o que permitiu que a Holanda aprimorasse este neg√≥cio com muito sucesso e o expandisse pela Europa. O mais curioso √© que a Princesa Catarina de Bragan√ßa, filha do Rei D. Jo√£o IV de Portugal, fervorosa adepta desta bebida, foi a respons√°vel por impulsionar o famoso consumo do ‚Äúch√° das 5‚ÄĚ em Inglaterra, quando se casou com o Rei Carlos II, em 1662. De todos os pa√≠ses da Europa, a Inglaterra era o que mais gostava desta bebida.


06. Funicular dos Guindais

O funicular original foi desenhado por Raul Mesnier, no quadro da revolu√ß√£o industrial e do auge da riqueza da cidade do Porto. Foi inaugurado em 4 de junho de 1891, mas, devido a um grave acidente em 5 de junho de 1893, foi fechado. Foi totalmente redesenhado pelo mesmo engenheiro, na tentativa de voltar a funcionar, mas isso nunca aconteceu devido ao ambiente pol√≠tico e social muito confuso e violento do final do s√©culo XIX. Assim, permaneceu inativo at√© 2001. Posteriormente, no √Ęmbito da opera√ß√£o de reabilita√ß√£o urbana do Porto, Capital Europeia da Cultura (2001), foi substitu√≠do por um novo funicular no mesmo local. Do equipamento e sistema originais, resta apenas a constru√ß√£o primitiva da casa das m√°quinas.


07. Muralha Fernandina

O Porto esteve em constante amea√ßa pelos ex√©rcitos de piratas e castelhanos, do s√©culo XII ao s√©culo XIV. Assim, a reconstru√ß√£o das antigas muralhas do Sueve come√ßou em 1336. Mas nem D. Afonso IV nem o seu filho D. Pedro I conseguiram conclu√≠-las. Por isso, 31 anos ap√≥s o in√≠cio da constru√ß√£o, quando D. Fernando foi coroado, mandou imediatamente reiniciar a obra. Para isso, contou com moradores da cidade e com dinheiro da C√Ęmara. Todos os habitantes da cidade contribu√≠ram igualmente. Quem n√£o podia pagar com dinheiro, trabalhou na constru√ß√£o. Em 1376 o prolongamento da parede j√° estava conclu√≠do. Assim, o povo portuense deu-lhe o nome de ‚ÄúMuralha Fernandina‚ÄĚ, o nome do rei.


08. Sé do Porto

A constru√ß√£o da S√© Catedral do Porto iniciou-se no s√©culo XII, mas s√≥ terminou no s√©culo XIII. No s√©culo seguinte, acrescenta-se o claustro, edificado em estilo g√≥tico, √† semelhan√ßa do t√ļmulo do cavaleiro Jo√£o Gordo na capela de S√£o Jo√£o Evangelista. Ainda no s√©culo XIV, os reis D. Jo√£o I e D. Filipa de Lencastre casaram-se na S√© Catedral do Porto, um grande acontecimento para a hist√≥ria da cidade. Posteriormente, nos s√©culos XVII e XVIII, acrescenta-se o estilo barroco, como o portal frontal (que ainda preserva a ros√°cea medieval). A fachada norte e v√°rios outros locais, como a capela-mor e a capela do Sant√≠ssimo Sacramento, que tamb√©m datam desse per√≠odo e desde ent√£o abrigaram um grande ret√°bulo de prata, no interior da igreja da catedral.


09. Ponte Luiz I

A Ponte Luiz I √© um ex-libris da cidade e faz parte da √°rea classificada como Patrim√≥nio Mundial pela UNESCO, desde 1996. A constru√ß√£o foi atribu√≠da em 1881 √† empresa belga "Soci√©t√© Willebreck'', da qual o administrador era Th√©ophile Seyrig, disc√≠pulo de Gustave Eiffel e autor do projeto da nova ponte. As obras come√ßaram nesse mesmo ano e continuaram at√© 1887 quando os dois n√≠veis da ponte foram finalmente conclu√≠dos. Curiosamente, a ponte teve uma portagem (cinco "Reis‚ÄĚ por pessoa) que deixaria de ser cobrado em 1944, ou seja, quase 58 anos depois. O seu arcto tem 172m, o tabuleiro superior tem 392m de comprimento e o tabuleiro inferior tem 174m de comprimento.


10. Mosteiro da Serra do Pilar

A constru√ß√£o do primeiro mosteiro come√ßou em 1538 e foi conclu√≠da em 1583. A nova igreja circular foi inaugurada em 17 de julho de 1672, e as fases finais do mosteiro foram conclu√≠das no final do s√©culo XVII. A import√Ęncia militar da Serra do Pilar tornou-se evidente pela primeira vez durante a Guerra Peninsular (Invas√Ķes de Napole√£o) e a localiza√ß√£o proeminente do mosteiro funcionou como o √ļnico reduto liberal no lado sul do Douro durante o Cerco do Porto (1832-33). Em 1910, o local foi declarado Monumento Nacional e tamb√©m est√° classificado como Patrim√≥nio Mundial pela UNESCO. Em 1947, alguns dos terrenos do mosteiro foram convertidos em quart√©is militares que permanecem no local at√© hoje. Desde o final do s√©culo 20, o mosteiro e os jardins est√£o abertos ao p√ļblico e a igreja continua a realizar a missa dominical.

J√° conhece bem o centro do Porto e todos estes locais que lhe apresentamos? Veja o nosso artigo Lugares a visitar a menos de meia hora do Porto e descubra a Maia, nos arredores desta fant√°stica cidade.


Viagens Sugeridas
CriaŐĀmos programas e pacotes de viagem que lhe permitiraŐÉo conhecer tudo o que de melhor Portugal teŐām para oferecer. Escolha o seu destino, selecione um dos nossos roteiros e viaje em Portugal connosco!
Construa a sua viagem
Selecione o seu hotel preferido, os restaurantes onde deseja fazer as suas refeicŐßoŐÉes e as atividades que tem curiosidade em experimentar. NoŐĀs tratamos do resto!